logo.jpg

De MT, pioneiro em técnica sobre tumor de boca ministra aula em … – Folhamax (liberação de imprensa)


O dentista Arlindo Aburad, doutor em Patologia Bucal pela USP, vai ministrar uma aula na Faculdade de Odontologia São Leopoldo Mandic, em Campinas (SP), nesta sexta-feira (26/5), sobre casos de tumores de maxila e de mandíbula. Pioneiro em biópsia por congelação, na Odontologia, Aburad vai debater casos clínicos de pacientes do Laboratório de Patologia Bucal, do Hospital de Câncer de Mato Grosso. Ele vai tratar, ainda, da importância dos exames preventivos de boca nos consultórios odontológicos. A aula do patologista vai ser ministrada no curso de Endodontia da Faculdade São Leopoldo Mandic, um dos maiores centros de pós-graduação de pesquisa na área odontológica do país, das 8h às 18h. O convite foi feito pelo professor Augusto Shoji Kato, doutor em Endodontia.

O patologista afirma que tem constatado em muitos casos, em atuações conjuntas com colegas cirurgiões-dentistas, que os tumores de maxila e de mandíbula parecem simples lesões inflamatórias, inicialmente, mas não são. “O dentista precisa estar atento e fazer exames preventivos ou até mesmo biópsia no paciente para distinguir lesões mais sérias, que precisam de tratamento mais invasivo, de outras que podem ser tratadas de forma mais simples”, alerta. Segundo ele, esses procedimentos evitam que tumores sejam diagnosticados tarde demais, o que sempre é pior para o paciente. “Somente assim o paciente terá a certeza do diagnóstico correto para o tratamento adequado”, explica.

De acordo com Aburad, os exames preventivos de boca são importantes para pacientes quando percebem quaisquer alterações internas ou nos lábios. Ele diz que muitas pessoas ainda têm receio de fazer exames preventivos de boca por conta do diagnóstico. “O temor muitas vezes é pior do que a própria lesão, já que afasta o diagnóstico precoce e o tratamento adequado para maiores chances de cura. Inclusive, na maioria das vezes, essas alterações são benignas e não provocam danos mais sérios. Contudo, isso somente pode ser verificado após a realização desses exames preventivos”, afirma. 

Durante a aula, o patologista vai discutir ainda uma técnica avançada, introduzida por ele na área de Odontologia no Brasil, que vem aplicando em pacientes. Ela possibilita o diagnóstico de tumor de boca no momento da cirurgia. É a chamada biópsia por congelação. “Geralmente, o paciente que opera o tumor de boca está ansioso para receber o resultado. O material retirado da boca para a biópsia tradicional é enviado ao laboratório e pode demorar alguns dias”, observa Aburad. Com a biópsia por congelação, ocorre o contrário. O paciente é informado imediatamente sobre o diagnóstico.

Segundo ele, além do resultado rápido, outra vantagem desta técnica é que o cirurgião é informado se o tumor foi totalmente removido durante a cirurgia. Caso não tenha sido, ele pode ampliar a cirurgia na hora para este fim. Assim, o paciente não precisa passar por novo procedimento cirúrgico no futuro.

 



Source link

logo-exame.png

46% dos brasileiros consideram difícil o acesso ao dentista, metade … – EXAME.com


COMUNICAÇÃO CORPORATIVA

Por

Dino

access_time

24 maio 2017, 12h26

Metade dos brasileiros entre 35 e 45 anos perdeu ao menos 12 dentes e 80% dos idosos têm menos de 20, de acordo com pesquisa da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP), que se embasou em um levantamento sobre a Saúde Bucal no Brasil, publicado pelo Ministério da Saúde. O Conselho Federal de Odontologia apurou que 46% dos brasileiros consideram que é difícil o acesso ao dentista, 20% não costumam ir ao consultório dentário por falta de condições financeiras, sobretudo, as classes mais baixas.

Neste cenário onde grande parte da população já perdeu um ou mais dentes e ainda não recebeu um tratamento adequado, o projeto Expedição Neo Sorrisos oferece atendimento básico de Saúde Bucal em uma unidade móvel com dois consultórios dentários. A população de Ilhéus poderá passar por uma consulta com dentistas da região que fazem parte do projeto entre os dias 30 de maio e 16 de junho, das 8 às 18 horas, na Avenida Soares Lopes, s/n, no centro. O atendimento inclui avaliação, indicações de tratamento, realização de limpezas e orientações sobre saúde bucal.

“O objetivo da Expedição Neo Sorrisos é levar atendimento odontológico básico às distintas populações do país, além de contribuir com a saúde da comunidade local, promovendo conhecimento sobre a implantodontia pelo trabalho voluntário”, explica o dentista e Head global de Educação e Pesquisa da Neodent, Dr. Sérgio Bernardes.

AGENDA

Expedição Neo Sorrisos
Local: Avenida Soares Lopes, s/n – centro
Período: De 30/05 a 16/06
Horário: Segunda-feira à sexta-feira, das 8 às 18 horas
Agendamento de consulta: Maiores de 18 anos, deve-se apresentar o documento de identificação (RG) e comprovante de endereço
Informações: neosorrisos@neodent.com.br ou pelo telefone celular (41) 9168-2942.

Website: http://www.neosorrisos.com.br/



Source link

logo.jpg

Capacitação em Odontologia para Pacientes Especiais será nesta … – Folhamax (liberação de imprensa)


Com objetivo de aprimoramento teórico-prático aos profissionais que atuam no atendimento a pacientes com necessidades especiais será realizada no dia 26 de maio a palestra interativa com o tema “Imersão em Odontologia para Pacientes Especiais”. A capacitação ocorre no período vespertino, das 14 às 18h30min no Auditório do Conselho Regional de Odontologia, em Cuiabá/MT.

O evento é voltado para odontólogos, técnicos e auxiliares enfocando a familiarização da equipe como um todo com as doenças neuro-psicomotoras, sistêmicas-crônicas, seus manejos e adequação psicológico ao tratamento odontológico.

As inscrições são online, e as vagas limitadas. O investimento na capacitação é solidário, com valor simbólico de R$ 25,00 para estudantes e R$50,00 para profissionais, e todo valor arrecadado será doado para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Cuiabá que comemora 50 anos. (LINK PARA INSCRIÇÃO – http://coletum.com/pt_BR/account/1290/form/1638/answer/new)

O aprimoramento é uma parceria entre o Instituto Iglesias, Academia Interamericana de Odontologia Para Pacientes Especiais (AIOPE) e Associação Mato-grossense de Odontologia para Pacientes Especiais (AMOPE) e integra a programação em comemoração a apresentação do Prêmio Ricardo Iglesias.

O prêmio que imortaliza o cuiabano que completa 55 anos neste mês é concedido pela Academia Interamericana em reconhecimento pela sensibilização em diversos acontecimentos de grande relevância na odontologia, contribuindo de forma social e científica em pesquisas e incentivando o aprimoramento.

HISTÓRICO  

Filho de Domingos Iglesias Valeriano, o Dr Iglesias que atuou na Defesa Civil, e de dna Norma Ruth Boehler Iglesias, Ricardinho, como é chamado, incentivou o movimento em prol da criança com deficiência. 

A família se mobilizou conseguindo a implantação da APAE na capital mato-grossense e completa 50 anos de história. Outro projeto que ainda é realidade em Cuiabá é o atendimento odontológico para pacientes especiais que teve início em 1988 com Centro de Assistência Odontológica a Pacientes Especiais que foi idealizado elaborado e acompanhado pela odontóloga, Norma Cristina Boerl Iglesias Araujo, irmã de Ricardo. O projeto da dentista continua em funcionamento pela Secretaria de Estado de Saúde e atualmente recebe a denominação de Centro Estadual de Odontologia para Pacientes Especiais (CEOPE).

A participação de Ricardinho, como é carinhosamente chamado, nos eventos científicos é contínuo e já dura 25 anos, ele acompanha sua irmã e sobrinha, Adriane Iglesias Araujo ambas dentistas em eventos nacionais e internacionais que debatem a Odontologia para Pacientes Especiais.

A homenagem com a criação do prêmio “Ricardo Iglesias” ocorreu em um destes eventos realizados em Mendoza, na Argentina. 

“Com muita emoção recebemos no dia 07 de outubro de 2016 a informação da homenagem a Ricardo que é o reconhecimento por sua vida e toda sua existência que incentivou, e continua incentivando estudos para o aprimoramento de técnicas científicas na área da saúde e educação”, afirmou Adriane.

A família recebeu a notícia com muita alegria como afirma Dra Norma Cristina e decidiu preparar um evento com momento científico com palestra e debate, e também um evento alusivo ao prêmio, onde será apresentado o troféu criado pelo arquiteto Moacyr de Freitas.

“A vida do Ricardo se funde com a história da luta em prol dos deficientes em nosso estado travada por nossa família, e que auxiliou outras também”, explica a dentista Norma Iglesias Araújo, irmã de Ricardo que é especialista em pacientes especiais e membro da Academia Interamericana de Odontologia Para Pacientes Especiais (AIOPE).

PRÊMIO

O arquiteto Moacyr Freitas foi o escolhido para criar o troféu do Prêmio Ricardo Iglesias, instituído pela AIOPE e que será destinado aos profissionais e pessoas que se destacaram, tanto no passado quanto presente, ao exercício do ensino, pesquisa e dedicação na área de Odontologia para pacientes especiais.

A indicação dos nomes será realizada pelos Acadêmicos, informado previamente ao presidente da AIOPE. O nome passa por análise em reunião ordinária ou extraordinária, por meio de avaliação de currículo que necessita da aprovação da maioria dos Acadêmicos. O premio deverá ser entregue em sessão solene ou evento com a participação da Academia.

Pensando na vida de Ricardo o arquiteto imortalizou a estatueta que simbolicamente indica a evolução da forma, indicando um nascimento, desenvolvimento que se retrai, a reação com esforço e a retomada do desenvolvimento. 

 



Source link

lar-dos-idosos1.jpg

Idosos de Três Lagoas recebem atendimento odontológico – JPNews (Blogue)


SAÚDE

Moradores do Lar dos Idosos receberão atendimentos uma vez por semana, sendo dois pacientes por dia

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) em parceira com o Lar dos Idosos Eurípedes Barsanulpho”, mantido pelo Grupo de Fraternidade Espírita “José Xavier”, realiza ações para garantir que os idosos tenham a saúde bucal como prioridade e recebam os cuidados necessários que ajude na prevenção de infecções.

Os idosos receberão atendimentos uma vez por semana, sendo dois pacientes por dia, até que todos sejam atendidos e que os procedimentos cirúrgicos sejam realizados devidamente, mantendo depois o acompanhamento de rotina.

O cirurgião-dentista Ramez Hassan Mahmoud, responsável pelos atendimentos no Lar dos Idosos enfatizou a importância da preocupação com a saúde bucal. “A saúde começa pela boca. No caso dos idosos, que não têm atendimento com dentistas há muito tempo, é grande o risco de infecções que surgem pela falta de cuidados com os dentes e podem se espalhar por todo o organismo”, comentou.

O atendimento é realizado pela equipe responsável na Unidade de Saúde do Bairro Interlagos e pela SMS, que fornece equipamento móvel completo e que permite a realização de todos os procedimentos, sob a supervisão de um médico responsável, a atuação de dois dentistas e três auxiliares.



Source link

dentist-428646_640.jpg

Odontologia: Especialização é fundamental para profissional se … – Jornal Extra


O cirurgião-dentista é o profissional responsável pelo diagnóstico, prevenção e tratamento dos problemas de saúde do problema mastigatório e de todas as estruturas relacionadas na boca. De acordo com o Conselho Federal de Odontologia (CFO), existem, atualmente, mais de 270 mil cirurgiões-dentistas no Brasil – a maior parte concentrada no estado de São Paulo, onde, até setembro deste ano, havia cerca de 82 mil profissionais.Diante de um mercado considerado saturado por alguns especialistas, a especialização torna-se uma necessidade, e a busca por espaço fora dos grandes centros, onde existe uma carência de profissionais, uma boa alternativa.

Áreas promissoras

De acordo com o Prof. Luís Cláudio Campos, diretor do Centro de Saúde Veiga de Almeida, da Universidade Veiga de Almeida (UVA), existem muitas áreas em desenvolvimento na Odontologia, especialmente as áreas de estética e da Odontologia Hospitalar.

– A área estética teve um grande desenvolvimento através de novos materiais e equipamentos que permitem reconstruir virtualmente o sorriso e replicá-lo clinicamente. Os dentes ficam com um aspecto muito natural. Outra área em expansão é a de Odontologia Hospitalar, em que o cirurgião-dentista se insere de forma significativa no cuidado dos pacientes das UTIs e mantém a saúde oral do paciente. Dessa forma, contribuir, dentre outras coisas, na prevenção do desenvolvimento das doenças respiratórias – explica.

Para o Prof. Elson Cormack, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), outra área promissora para os próximos anos é a de implantodontia, que, assim como a área de estética, está em contínua expansão e tem sido objeto de inúmeras pesquisas nas universidades e centros de pesquisa no Brasil e no mundo.

– As áreas de estética e de implantodontia devem continuar a crescer, pois a difusão de modernas técnicas de implantodontia entre os profissionais e o sucesso destes procedimentos têm feito aumentar a procura por estes tratamentos, que estão cada vez mais acessíveis aos pacientes nos consultórios particulares – afirma.

O Prof. Elson Comarck trabalha na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
O Prof. Elson Comarck trabalha na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Foto: Divulgação / Arquivo Pessoal

Além disso, os dois especialistas também destacam que o desenvolvimento da engenharia genética pode possibilitar novas formas de tratar os dentes.

– Num futuro mais distante, é possível imaginar que a engenharia genética tenha um papel relevante. É muito provável que tenhamos a possibilidade de retirar e alterar o material genético de uma célula, e que ela venha a se desenvolver como um dente, substituindo aquele que estava ausente – defende Cormack.

– O cultivo celular e desenvolvimento de novo órgão dental através de células embrionárias será, sem dúvida, o futuro da reabilitação e da reconstrução do sorriso. Hoje, implantamos dispositivos de titânio nos dentes. No futuro, implantaremos células que permitirão o desenvolvimento de um novo dente – explica Campos.

Mercado de trabalho

Campos defende que, apesar do grande número de cirurgiões-dentistas no mercado e em formação no país, a demanda por tratamento odontológico é ainda muito grande – especialmente fora dos grandes centros, onde há uma grande carência de profissionais da saúde, e onde não há uma cultura de educação em saúde bem desenvolvida.

– Ainda existem muitas pessoas que necessitam de tratamento dentário, ou seja, tratamento cirúrgico restaurador convencional através de restaurações, tratamentos de gengiva, de canal e de reabilitações protéticas. Para melhorar este cenário, é preciso desenvolver uma cultura de educação em saúde para que a população entenda a importância de manter a saúde oral e a relação biológica da saúde sistêmica com a saúde oral. Nós profissionais temos a obrigação de construir esta cultura – afirma.

Já Comarck acredita que existe uma saturação de profissionais no mercado, e que, para o profissional se destacar, é necessário buscar a especialização.

– O maior investimento que o profissional deve fazer é no seu constante desenvolvimento. Manter ativo um processo de aperfeiçoamento profissional, atualizando-se com as novas técnicas e materiais, é uma forma segura de conseguir se destacar no mercado. Estudos atuais mostram que, a cada dois anos, dobra-se a quantidade de novas informações e pesquisas realizadas. Estar atualizado é uma necessidade e um desafio profissional – afirma.

Segundo os professores, programas de governo como o Programa Saúde da Família (PSF), as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e o Centro de Especialidades Odontológicas (CEOs) têm incorporado um grande contingente de profissionais dos últimos anos, o que aumentou a oferta de empregos no setor público.

– Há pouco mais de 10 anos a Odontologia passou a ser um dos programas prioritários do Ministério da Saúde, o que se traduz em investimentos, gastos e custeio. Acredito que haverá uma maior demanda por esse profissional pelo setor público nos próximos anos. Apesar do Brasil ser considerado atualmente pela OMS como um país com baixo índice de cárie, ainda existe a polarização da doença em determinados grupos populacionais que apresentam índices muito altos de doenças bucais, especialmente entre as camadas menos favorecidas da população. Nesse campo, ainda há um extenso caminho a ser percorrido pela Odontologia através do Sistema Único de Saúde – afirma Cormack.

Salário

Atualmente, o piso salarial nacional do cirurgião-dentista é de R$ 9 mil por 20 horas semanais. No Rio de Janeiro, no entanto, o piso é de R$ 2.474 por 24 horas semanais, de R$ 3.708 por 36 horas semanais e de R$ 4.534 por 44 horas semanais, segundo o Sindicato dos Cirurgiões-Dentistas do Rio de Janeiro. Segundo o IPEA, em 2013, a média salarial dos dentistas brasileiros era de R$ 5.367 mensais por uma média de 38,24 horas por semana.

Porém, os especialistas destacam que os rendimentos podem ser superiores ao piso dependendo do tipo de inserção do profissional no mercado. Segundo Cormack, o cirurgião-dentista tem maior possibilidades de ganho ao abrir o próprio consultório, apesar dos custos de investimento. Além disso, explica que as especializações sempre oferecem salários maiores, especialmente de implantodontia, prótese, dentística, endodontia e ortodontia. O professor destaca que, segundo pesquisas, cada ano de estudo corresponde, em média, a 15% de aumento de salário.

Cirurgiã-dentista recém-formada defende especialização

A cirurgiã-dentista Mariana Sobral formou-se em Odontologia em 2014 pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Segundo a jovem, o curso, de uma forma geral, oferece uma grande variedade de especialidades para os alunos conhecerem e guiarem seus estudos.

– O estudante de Odontologia tem contato com as áreas de cirurgia oral, da reabilitação oral e estética – que está em crescimento e tem gerado interesse nos alunos – da ortodontia, da estomatologia, entre outras. Cabe, então, a cada um escolher o seu caminho – diz.

Recém-formada, Mariana decidiu fazer uma pós-graduação em Ortodontia – área que corrige as más-oclusões. O que, diante de um mercado saturado, acredita que será um diferencial no currículo.

Mariana faz pós-graduação em Ortodontia na UERJ
Mariana faz pós-graduação em Ortodontia na UERJ Foto: Divulgação / Arquivo Pessoal

– Existem muitos dentistas atuando e não dá para ser apenas mais um. É necessário fazer diferente, aprimorar suas habilidades e, principalmente, gostar do que faz. A profissão é incrível e tem um mundo de oportunidades, a questão é querer melhorar sempre e não se acomodar com o que já tem. Profissionais capacitados sempre terão espaço no mercado – defende

No futuro, Mariana pretende trabalhar como ortodontista clínica, mas diz que também adoraria seguir pela área acadêmica.

– Acredito no poder do ensino, em todos os níveis, e que uma boa educação é fundamental para formar um indivíduo com vontade de crescer, raciocinar e produzir – afirma.



Source link